Conflitos no Congo deixam pelo menos 68 mortos

Confrontos ocorrem no oeste do país desde fevereiro, entre o governo e membros da milícia Bundu Dia Kongo

BBC,

16 de março de 2008 | 16h55

Pelo menos 68 pessoas morreram no Congo durante confrontos no oeste do país, entre a polícia e membros da milícia Bundu Dia Kongo. Os rebeldes acusam o governo de corrupção e má administração, e tenta estabelecer uma autoridade independente no oeste do Congo. O governo tenta restaurar a ordem, informou a rede BBC. De acordo com um informe da ONU, divulgado pela BBC, além dos 68 mortos nos confrontos desde o início do mês, mais de 300 membros da milícia estão desaparecidos. Dois corpos foram encontrados pela ONU num rio da região. No fim de fevereiro, um capitão das forças congolesas foi supostamente morto pelos rebeldes, segundo a ONU. Desde então, a polícia começou uma operação contra o grupo e destruiu igrejas e casas que se acredita ser dos membros da milícia. A chefe da Polícia do Congo declarou que a operação irá continuar até que a ordem seja restabelecida. Alguns integrantes do grupo alegam ter sido torturados pela polícia. Mais de 200 membros da ONU foram enviados à região, mas a organização parece não conseguir interromper a violência, segundo a BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
Congorebeldesconfrontos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.