Conflitos no Sinai deixam 6 mortos e 21 feridos

Seis pessoas morreram durante conflitos entre um grupo armado e forças de segurança no norte da região do Sinai, no Egito, segundo informações de fontes e da agência de notícias estatal Mena.

REUTERS

30 de julho de 2011 | 14h07

Cerca de 100 homens armados circularam pela cidade de el-Arish na sexta-feira em carros e motos, empunhando bandeiras com mensagens islâmicas e atirando para o alto, disseram fontes da polícia do Sinai neste sábado.

Eles atacaram um departamento de polícia e começaram um tiroteio contra policiais e soldados, de acordo com as fontes. Um oficial do Exército e três civis que passavam pelo local foram mortos a tiros. Um policial e um suspeito palestino morreram mais tarde por conta de ferimentos no confronto.

Testemunhas disseram que os atiradores -- muitos deles usando máscaras -- não pareciam ser da região, pois se perderam muitas vezes antes de chegar ao departamento de polícia.

Não se sabe a identidade do grupo armado, mas o chefe de segurança do norte do Sinai disse à Mena que egípcios e palestinos estavam entre os 12 suspeitos presos e sob investigação.

A Faixa de Gaza, controlada pelo grupo islâmico palestino Hamas, faz fronteira com o Sinai pelo norte.

Um comunicado do Ministério de Saúde identificou os três civis mortos: um homem de 18 anos de idade, um menino de 13 e um homem de 70.

Quatro oficiais do Exército, nove guardas de segurança, dois policiais e seis civis ficaram feridos no ataque, segundo a agência Mena e a fonte.

(Reportagem de Yusri Mohamed, Marwa Awad e Shaimaa Fayed)

Tudo o que sabemos sobre:
EGITOCONFLITOSINAI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.