Conflitos no Sudão aumentam com referendo para divisão

Líderes da tribo árabe Misseriya e dos povos Ngok Dinka, no distrito de Abyei, no Sudão, afirmaram hoje que houve muitas baixas em confrontos nos últimos três dias na área, com pelo menos 33 mortos. As tensões no distrito no limite entre o norte e o sul do país têm crescido com o referendo sobre a independência do sul, que começou ontem. O distrito de Abyei lançaria um referendo simultâneo sobre seu próprio futuro, mas essa votação foi adiada indefinidamente.

AE, Agência Estado

10 de janeiro de 2011 | 11h00

Um líder da tribo Misseriya, Hamid al-Ansari, disse que 13 árabes foram mortos e 38 ficaram feridos. Já o administrador-chefe de Abyei, Deng Arop Kuol, afirmou que no total morreram nos últimos três dias "cerca de 20 a 22" membros do povo Dinka.

Separadamente, um porta-voz militar do sul, coronel Philip Aguer, afirmou hoje que 20 policiais morreram em Abyei. Segundo ele, outros 30 policiais ficaram feridos, em dois confrontos entre tribos árabes e milicianos. Aguer disse acreditar que os membros de tribos árabes são apoiados por militares do norte do país. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Sudãoviolênciareferendoseparação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.