Conflitos no Sudão do Sul deixam ao menos 127 mortos

Mortes ocorreram no norte do país africano após batalha entre civis e soldados

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de agosto de 2020 | 10h21

Conflitos entre civis e soldados no Sudão do Sul deixaram ao menos 127 mortos nos últimos dias, informaram autoridades daquele país nesta quarta-feira, 12. Foram 82 civis e 45 soldados, de acordo com o porta-voz do Exército Lul Ruai Koang. 

As mortes ocorreram em Warrap, no norte do país, após integrantes do Exército tentarem impor um acordo de paz a civis que se recusaram a entregar as armas. Pelo menos outras 32 pessoas ficaram feridas. 

De acordo com a rede de TV Al Jazira, a batalha entre civis armados e o Exército se espalhou para outras vilas. A rede de tv informa que o desarmamento de civis faz parte de um acordo de paz assinado entre o presidente do Sudão do Sul, Salva Kiir, e o líder da oposição Riek Machar, em fevereiro, após meses de negociações.

O governo, que foi constituido apenas parcialmente, seria formado com os dois ocupando posições de liderança. Governadores regionais já foram nomeados. 

Tudo o que sabemos sobre:
Sudão do Sul [África]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.