Confronto deixa quatro feridos em manifestação no Iêmen

Manifestantes contrários ao governo do Iêmen e partidários do presidente Ali Abdullah Saleh armados com adagas entraram em confronto hoje na capital do país, Sanaa. Pelo menos quatro pessoas ficaram feridas nos distúrbios, informou um correspondente da France Presse. Três jornalistas também foram agredidos por partidários de Saleh, em confrontos perto da Universidade de Sanaa, entre estudantes exigindo a queda do presidente e partidários do governista Congresso Geral do Povo.

AE, Agência Estado

16 de fevereiro de 2011 | 10h13

Uma marcha de protesto partiu da universidade rumo à praça Al-Sabiine, perto do palácio presidencial. Os manifestantes, porém, foram atacados por centenas de partidários de Saleh armados com paus, pedras e adagas logo que deixaram o câmpus. Os manifestantes reagiram atirando pedras e os confrontos se disseminaram mais tarde para o câmpus. A polícia disparou tiros de advertência para tentar dispersar os grupos.

Os manifestantes afirmam que entre seus agressores havia policiais vestidos à paisana. "Os matadores e partidários do partido governista (querem) massacrar" os estudantes, afirmou o chefe do grêmio dos estudantes da universidade, Radwan Masud. Ele disse que os estudantes irão "continuar sua revolta e não serão impedidos pelas ações do partido governista".

Confrontos similares têm ocorrido todos os dias nesta semana no Iêmen. Os manifestantes, inspirados pelos levantes de Tunísia e Egito, querem o fim do regime de Saleh. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Iêmenprotestosconfrontosferidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.