Confronto em Barcelona deixa 121 feridos

Sob a justificativa de recolher da Praça de Catalunha objetos que possivelmente seriam usados como armas após a final entre Barcelona e Manchester pela Copa dos Campeões - que será realizada esta noite em Londres - as forças de segurança da capital catalã realizaram ontem uma operação que resultou num violento confronto com os manifestantes que ocupam o local desde o dia 15. Ao menos 121 pessoas ficaram feridas.

AP e Efe, O Estado de S.Paulo

28 de maio de 2011 | 00h00

Após a retirada da polícia antimotim, as dezenas de milhares de "indignados" - que acampam na praça para protestar contra o desemprego, a crise econômica e a situação política da Espanha - voltaram a ocupar o local. Manifestações semelhantes, que exigem "democracia real agora", ocorrem em diversas cidades do país.

Acompanhados de varredores, lixeiros e seus caminhões, os agentes de segurança chegaram armados à principal praça de Barcelona às 7 horas e disseram à organização do protesto que pretendiam limpar o local. Após uma rápida assembleia, os manifestantes decidiram não sair de lá e sentaram-se no chão, impedindo a passagem dos funcionários de limpeza e seus veículos.

Por volta das 9 horas, os policiais começaram a avançar sobre os grupos que resistiam, empurrando-os com seus escudos. Foi quando a violência começou. Os manifestantes - alguns deles, idosos - eram arrastados pelas roupas e pelos cabelos, recebendo golpes de cassetete sem responder aos golpes. Uma imagem publicada na internet flagrou um deficiente físico sendo agredido em sua cadeira de rodas.

A revolta e o medo tomaram conta. Jovens ensanguentados mostravam seus ferimentos às câmeras e xingavam os policiais. Alguns dos jovens concentrados na praça furaram os pneus dos caminhões de limpeza para impedir que abandonassem o local levando os utensílios que eles tinham acumulado durante os dias de protesto.

Após a dispersão da manifestação, os funcionários de limpeza retiraram cerca de 30 caminhões repletos de barracas, sacos de dormir, panelas, cartazes, comida e computadores dos manifestantes. Às 13 horas, os agentes de segurança deixaram a praça e, imediatamente, os "indignados" voltaram a ocupar o local. O governo informou que pretende devolver os bens apreendidos.

As autoridades justificaram que, antes de partidas importantes do Barcelona, sempre costumam realizar a limpeza da Praça de Catalunha, com a retirada de garrafas das lixeiras, pois os torcedores costumam cometer atos de vandalismo na área após os jogos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.