Confronto em Rafah mata 1

Palestinos enfrentam polícia egípcia ao voltar para Gaza

Ap e Reuters, O Estadao de S.Paulo

04 de fevereiro de 2008 | 00h00

Policiais egípcios e palestinos armados enfrentaram-se ontem na fronteira entre a Faixa de Gaza e o Egito. Um civil palestino morreu e outras 52 pessoas ficaram feridas - 38 policiais egípcios e 14 palestinos. O confronto ocorreu um dia após o governo do Cairo decidir fechar as passagens na barreira de Rafah - que separa os dois territórios - abertas no dia 23 por militantes do grupo radical islâmico Hamas. Mais de 700 mil palestinos atravessaram por meio das brechas na fronteira para comprar comida e combustível no Egito, já que Gaza vinha sofrendo com o bloqueio imposto por Israel, em retaliação a ataques com foguetes contra seu território. O Hamas negou ter participado do tiroteio, que começou depois que seguranças egípcios barraram os milhares de palestinos que tentavam voltar para casa. A multidão começou a atirar pedras nos guardas, que revidaram, com bombas de gás lacrimogêneo e tiros. Em seguida, os palestinos responderam, disparando contra os egípcios. Até a noite de ontem, não estava claro se os palestinos armados eram do Hamas. Um dos líderes do grupo, Sami Abu Zuhri, qualificou os ataques de "lamentáveis" e fez um "apelo por contenção". O governo egípcio está numa espécie de encruzilhada no conflito entre Israel e palestinos. Por um lado, ele é aliado de Israel e por isso sofre pressão tanto dos israelenses como dos americanos para controlar suas fronteiras. Por outro, os dirigentes egípcios não querem ser vistos como alguém que abandona seus vizinhos palestinos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.