Confronto entre cristãos e polícia no Cairo deixa mais um morto

Um egípcio cristão que havia sido ferido durante confrontos com a polícia antichoque esta semana morreu. Com isso, são dois os mortos nos protestos por causa da construção de uma igreja, disse uma fonte de um hospital na sexta-feira.

REUTERS

26 de novembro de 2010 | 16h03

Malak Mubarak, de 25 anos, morreu na quinta-feira no Hospital Al-Ahram, afirmou a fonte.

Dezenas de pessoas ficaram feridas nos confrontos no distrito de Giza, no Cairo, quando cerca de 3 mil coptas jogaram pedras contra policiais depois que as autoridades impediram a construção da igreja.

As autoridades impediram as obras da igreja, embora os coptas tenham afirmado que possuíam uma autorização oficial.

O governador de Giza, Sayyed Abdel-Aziz, afirmou que os cristãos aparentemente usaram um alvará destinado a um centro social para construir uma igreja. Os cristãos, porém, afirmam que tinham o alvará correto e continuarão a construir a estrutura de três andares.

Os cristãos são cerca de 10 por cento dos 79 milhões de habitantes do Egito.

(Reportagem de Mohamed Abdellah)

Tudo o que sabemos sobre:
EGITOCONFRONTOCRISTAOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.