Confronto entre Exército e rebeldes mata 27 nas Filipinas

Combates entre separatistas da Frente Moura de Libertação Islâmica (FMLI) e o Exército começaram na quinta

EFE,

28 de março de 2009 | 07h47

Pelo menos 27 pessoas morreram e outras cinco ficaram feridas nos últimos dias na ilha de Mindanao, no sul das Filipinas, em um confronto entre os separatistas da Frente Moura de Libertação Islâmica (FMLI) e o Exército.

 

Os combates começaram na quinta-feira, um dia antes da visita da presidente filipina, Gloria Macapagal Arroyo, à região para inspecionar projetos de infraestrutura.

 

Segundo fontes militares, cerca de 50 rebeldes atacaram uma patrulha na quinta-feira e os combates travados desde então ocasionaram 20 mortes entre os separatistas e sete entre os soldados.

 

A perseguição aos rebeldes se mantém hoje, depois que os separatistas se dividiram em pequenos grupos e fugiram para a floresta.

 

O porta-voz do FMLI Eid Kabalu, que não informou sobre mortos, disse que o Exército iniciou os combates, ao atacar um povoado onde moram famílias de integrantes do grupo muçulmano.

 

Fundado em 1984, o FMLI é a maior organização separatista das Filipinas, com mais de 12 mil militantes.

Tudo o que sabemos sobre:
FilipinasExércitorebeldes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.