/Esam Omran Al-Fetori/Reuters
/Esam Omran Al-Fetori/Reuters

Confronto entre Exército líbio e extremistas islâmicos deixa 9 mortos

Moradores foram orientados a ficar longe das ruas e soldados licenciados foram convocados

O Estado de S. Paulo,

25 de novembro de 2013 | 12h58

BENGHAZI - Confrontos entre tropas líbias e militantes na cidade de Benghazi, leste do país, resultaram na morte de ao menos nove pessoas nesta segunda-feira, 25, em um novo teste para as Forças Armadas da Líbia.

Ainda em treinamento, o novo contingente militar enfrenta dificuldades para reprimir militantes islâmicos e milícias que lutaram durante o levante contra Muamar Kadafi e se recusam a se desarmar. Esses grupos controlam partes do país.

Tiros e explosões puderam ser ouvidos em Benghazi e uma espessa fumaça se erguia da área de Ras Obeida. O Exército ordenou que moradores ficassem longe das ruas e convocou soldados que estavam licenciados.

O conflito começou quando uma unidade especial das Forças Armadas perseguia um suspeito em uma área onde o grupo militante Ansar al-Sharia opera postos de controle, disseram autoridades do setor de segurança de Benghazi.

Fontes médicas e da área de segurança disseram que pelo menos nove pessoas foram mortas em confrontos armados.

O caos na Líbia preocupa vizinhos e potências ocidentais que apoiaram o levante que resultou na derrubada de Kadafi, dois anos atrás, em uma das revoltas da Primavera Árabe./ REUTERS

 
Tudo o que sabemos sobre:
LíbiaExércitoextremistas islâmicos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.