Confronto entre manifestantes e polícia deixa ao menos 3 mortos na Síria

País ainda não havia vivenciado grandes manifestações desde início da onda de protestos no mundo árabe.

BBC Brasil, BBC

18 de março de 2011 | 23h24

Vídeos na internet mostram protestos contra o governo sírio

Ao menos três manifestantes morreram e vários se feriram nesta sexta-feira em confrontos com forças de segurança em Deraa, cidade a cerca de 100 km ao sul da capital síria, Damasco.

A agência de notícias estatal Syrian Arab News (Sana) disse que as tropas tiveram que intervir no protestos após atos de violência e vandalismo.

Testemunhas descreveram choques violentos entre a polícia e os manifestantes, que pediam o fim da corrupção e mais liberdade no país.

Há relatos não confirmados de que o governo mandou reforços para a cidade. Também houve protestos em Damasco e nas cidades de Homs e Banyas.

Os Estados Unidos condenaram as mortes e disseram que os responsáveis pela violência devem ser julgados.

Tumulto

Segundo a Sana, "instigadores" se misturaram a algumas pessoas após as orações perto da mesquita Al-Omari, em Daraa, e "tentaram criar caos e tumulto, depredando propriedades públicas e privadas e ateando fogo a carros e lojas".

A Sana disse ainda que membros das forças de segurança intervieram para "proteger cidadãos e suas propriedades" e dispersaram os manifestantes.

Segundo o site de oposição Free Syria, um funcionário da empresa de telecomunicações do país teria dito que autoridades ordenaram que as comunicações fossem cortadas em áreas onde acontecerem manifestações.

Desde o início da onda de protestos nos países árabes, em dezembro passado, não haviam sido registradas grandes manifestações de oposição na Síria.

O presidente sírio, Bashar Al-Assad, ocupa o cargo desde 2000. Ele sucedeu seu pai, Hafez Al-Assad, que governou por 30 anos.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.