Richard Neil/Reuters
Richard Neil/Reuters

Confronto entre o Exército e rebeldes deixa ao menos 16 mortos no Sudão

Violência atinge a região três dias depois de referendo que aprovou a independência do sul do país

Reuters,

10 de fevereiro de 2011 | 10h44

CARTUM - Ao menos 16 pessoas morreram em confrontos entre uma milícia dissidente e o Exército do Sudão do Sul, informaram as forçasmilitares nesta quinta-feira, suscitando temores sobre a estabilidade do Sul, região produtora de petróleo que se prepara para declarar sua independência do Sudão.

Os confrontos contra as forças fiéis ao grupo de George Athor no estado de Jonglei, no Sudão do Sul, entre quarta e quinta-feira, romperam um instável cessar-fogo estabelecido com o governo sulista. O incidente ocorreu após uma revolta militar no estado vizinho do Alto Nilo, em que ao menos 60 pessoas morreram.

A violência encerrou em um período de relativa calma no território pobre e dividido, e num momento delicado para a região. Na segunda-feira, resultados finais de um referendo mostraram que quase 99% dos sulistas votaram pela separação do norte. A votação era prevista pelo acordo de paz de 2005, que encerrou décadas de guerra civil.

Estima-se que cerca de 2 milhões de pessoas tenham morrido no conflito, marcado também pela violência entre milícias rivais no sul do país. Há temores de que as antigas divisões possam ressurgir no período que antecipa a secessão, prevista para o dia9 de julho. A guerra entre o norte o sul do Sudão foi inflada por diferenças étnicas, ideológicas, religiosas e pela questão do petróleo, que garantiu ao sul armas e munições.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.