Confronto na Chechênia deixa 19 mortos

Um tiroteio entre o grupo de proteção pessoal do presidente da Chechênia, Ramzan Kadyrov, e insurgentes separatistas terminou com a morte de 19 pessoas na manhã deste domingo, dentre elas cinco civis. Pelo menos 12 supostos insurgentes e dois seguranças foram mortos quando os rebeldes entraram na vila de Tsentoroi, local de nascimento de Kadyrov, informou seu porta-voz, Alvi Karimov, à Associated Press. Segundo emissoras de televisão, cinco civis foram mortos durante a troca de tiros.

AE-AP, Agência Estado

29 de agosto de 2010 | 10h31

"Nós permitimos que eles entrassem na vila, de forma que não pudessem escapar", disse Kadyrov ao Canal 1 de televisão, que o mostrou examinando os corpos dos supostos militantes. "Nós fizemos com que viessem para um local onde pudessem ser eliminados", disse ele.

Em outro incidente neste domingo, forças de segurança da província do Daguestão mataram a tiros quatro supostos militantes que viajavam em dois carros e que se recusaram a parar num posto de verificação da polícia, disse o porta-voz policial Magomed Tagirov. Segundo ele, armas foram encontradas nos carros.

O Cáucaso do Norte sofre ataques diários de insurgentes que querem a independência de Moscou, mas neste final de semana as ações têm sido particularmente intensas. No sábado, nove militantes foram mortos em dois confrontos separados com a polícia na república de Kabardino-Balkariya e cinco militantes e dois policiais morreram em outro tiroteio no Daguestão. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Rússiaviolênciacáucaso

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.