Confronto no sul do Sudão deixa ao menos 69 mortos, diz Exército

Choques entre militares e milícias locais ocorreu na quinta em Estados produtores de petróleo

Reuters

18 de março de 2011 | 19h25

CARTUM - Pelo menos 69 soldados e milicianos morreram e dezenas ficaram feridos na quinta-feira em confrontos entre o Exército do Sudão do Sul e milícias locais em três Estados produtores de petróleo, disse o Exército nesta sexta, 18. O Ministério do Petróleo disse que esses e outros recentes confrontos não interromperam a produção sudanesa de petróleo, concentrada principalmente nesses três Estados.

O Sudão do Sul irá declarar sua independência em julho, conforme resultado de um referendo feito em janeiro. As autoridades sulistas acusam o governo central do Sudão, sediado no norte, de armar milícias para tentar desestabilizar a região antes da secessão. Cartum nega.

O Exército do Sul disse que pelo menos 69 combatentes de ambos os lados foram mortos e dezenas ficaram feridos nos confrontos da véspera nos Estados de Unidade e Alto Nilo.

Não havia estimativa de vítimas nos confrontos menos violentos registrados no Estado de Jonglei, onde a empresa francesa Total deve começar a extrair petróleo neste ano. "Os civis estavam cientes do que estava acontecendo, então fugiram dos combates", disse o porta-voz militar Philip Aguer.

Tudo o que sabemos sobre:
SudãoconfrontoSudão do SulÁfrica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.