Confrontos chegam a hospital onde está Correa

Confrontos irromperam na noite de hoje em frente ao hospital militar onde está o presidente do Equador, Rafael Correa. Centenas de partidários de Correa haviam se aglomerado em frente ao Hospital da Polícia Nacional e entraram em confronto com os policias grevistas que cercam o prédio. Dois fotógrafos da agência de notícias France Presse disseram que foram espancados por policiais, que tomaram suas câmeras e destruíram os filmes. O Ministério da Segurança do Equador confirmou que uma pessoa foi morta e seis ficaram feridas no motim policial.

AE-AP, Agência Estado

30 de setembro de 2010 | 20h56

Correa disse um pouco mais cedo à televisão estatal, no hospital, que ele ainda governa o Equador. Na noite de hoje, o Aeroporto Internacional de Quito foi reaberto após ter ficado horas fechado pelos amotinados, informou o prefeito da capital equatoriana, Augusto Barrera.

O governo equatoriano decretou estado de emergência por cinco dias em meio a uma série de protestos iniciada por policiais e militares contrários a uma reforma que afetará benefícios aos servidores públicos. Com informações da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.