Confrontos contra rebeldes deixam 9 mortos na Somália

Combates pesados entre tropas etíopes e insurgentes islâmicos irromperam hoje em Mogadíscio, matando pelo menos nove somalis, afirmaram testemunhas. A luta recomeçou após apelos do fortalecido movimento islâmico para intensificar os ataques contra os etíopes no mês islâmico do Ramadã. Os moradores dizem que cerca de cem militantes armados, gritando "Deus é grande", lançaram um ataque contra uma base de soldados etíopes e regulares do Exército da Somália no bairro de Huriwaa, no noroeste da capital do país.O morador Abdiwali Mohamud contou que viu quatro civis mortos no fogo cruzado, em uma batalha que durou duas horas. Outro morador, Abdinur Sheikh, disse que viu os cadáveres de três insurgentes e de dois soldados somalis na rua. Salado Mahad, dono de um quiosque no mercado de Huriwaa, afirmou que os soldados etíopes atiraram contra um açougue no centro comercial, ferindo duas mulheres e quatro homens.Os insurgentes islâmicos lutam pelo controle de várias partes do país com o governo local, que é apoiado pelas Organização das Nações Unidas (ONU) e conta com a ajuda de tropas etíopes. Os confrontos ocorrem desde a expulsão dos islamitas da capital, em dezembro de 2006. Porém, a Somália não tem um governo que controla de fato o país desde 1991. Naquele ano, o ditador Mohammed Siad Barre foi derrubado por senhores de guerra, baseados em alianças de clãs. Em seguida, esses clãs começaram conflitos entre si.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.