Confrontos deixam 15 insurgentes mortos no Paquistão

Mortes ocorreram no Waziristão do Sul, onde Exército promove ofensiva contra o Taleban

Efe,

28 de dezembro de 2009 | 12h16

Pelo menos 15 supostos insurgentes e dois membros das forças de segurança morreram nas últimas 24 horas na demarcação tribal do Waziristão do Sul, principal reduto dos taleban paquistaneses, onde o Exército desenvolve uma ofensiva contra os extremistas, informou nesta segunda-feira, 28, o comando militar.

 

Veja também:

linkAtentado em procissão xiita deixa 20 mortos no Paquistão

 

Na zona de Jandola, um grupo de homens armados atacou na noite do domingo um posto de controle das forças de segurança, que responderam matando 15 deles, segundo um comunicado. De acordo com a versão militar, entre os mortos, há um líder insurgente identificado como Zainual.

 

Durante os confrontos, que aconteceram no posto de Boya Narai, dois membros das forças de segurança morreram e três ficaram feridos. Enquanto isso, as tropas apreenderam armas e munição em várias operações de rastreamento nas zonas de Shakai e Razmak.

 

No Vale de Swat, onde o Exército combate os taleban desde o final de abril, três supostos terroristas se entregaram voluntariamente às tropas nas zonas de Roringar e Devolai. Além disso, os militares recuperaram armas e munição em Mingora.

 

Na demarcação de Orakzai, a única do cinturão tribal paquistanês que não faz fronteira com o Afeganistão, nove membros de tribos e seis insurgentes morreram em choques entre clãs rivais.

 

Segundo o canal privado Dawn TV, que cita uma fonte não identificada, os combates explodiram depois que os insurgentes tentaram ocupar a casa de um líder tribal na zona de Cham Channa.

 

Além das ofensivas no Waziristão do Sul e em Swat, o Exército do Paquistão lança operações pontuais em várias áreas do conflituoso cinturão tribal.

 

O presidente do Paquistão, Asif Ali Zardari, defendeu a continuação da luta contra a insurgência para evitar que o país se transforme em "outro Iraque, Afeganistão ou Somália".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.