Confrontos deixam 17 mortos na cidade líbia de Misurata

Atiradores de elite e bombas mataram ontem 17 pessoas, incluindo cinco crianças, em Misurata, quando forças do governante líbio Muamar Kadafi reforçaram sua campanha para retomar a cidade dos rebeldes, disse um médico hoje.

AE, Agência Estado

23 de março de 2011 | 13h00

Além disso, houve confrontos hoje entre as forças oposicionistas e as tropas de Kadafi em Ajdabiya, disseram moradores que fugiam da estratégica cidade portuária. Tiros eram disparados e casas estavam em chamas. Um homem, que se identificou como Faraj, disse que a violência impediu que ele entrasse em Ajdabiya. Outra fonte, Hamed al-Qabaili, fugia da cidade e descreveu a situação como "muito ruim". "Eles estão disparando mísseis Grad nas casas".

As forças de Kadafi entraram em Ajdabiya na semana passada e ainda lançaram um duro ataque a Benghazi. Mas o avanço delas foi bloqueado pelo ataque aéreo da França no fim de semana, pouco após o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovar uma resolução autorizando todas as medidas necessárias para proteger civis. Ao recuar para Ajdabiya, as forças oficiais sofreram ataques com um avanço dos rebeldes.

Kadafi

Em entrevista à rede de televisão ABC, a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, citou informações não confirmadas segundo as quais um dos filhos de Kadafi poderia estar morto. Ela citou essa informação sem dizer qual seria esse filho, mas notou que a "evidência não é suficiente" para confirmar a informação. As informações são da Dow Jones e da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
LíbiaataquesmortesMisurata

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.