Confrontos deixam 23 mortos no Iêmen

Pelo menos 23 supostos militantes da rede extremista Al-Qaeda foram mortos em batalhas contra o Exército do Iêmen pelo controle das remotas regiões no sul e leste do país, disse nesta segunda-feira o Ministério da Defesa do Iêmen. O ministro, que citou um oficial na província sulista de Abyan, um local infestado por militantes da Al-Qaeda, disse que o exército bombardeou posições da Al-Qaeda perto da cidade de Loder, na noite do domingo, matando 13 suspeitos.

AE, Agência Estado

23 de abril de 2012 | 16h04

O oficial iemenita disse que os ataques forçaram os insurgentes islamitas a se retirarem de posições ao redor da cidade e que civis armados apoiaram os militares. Esses civis são conhecidos como Comitês de Resistência Popular. Pelo menos outros três militantes foram mortos em um ataque aéreo contra vários veículos em uma remota região desértica no leste da província de Marib, disse o Ministério da Defesa.

Também no domingo, o ataque um drone (avião não tripulado e teleguiado) dos Estados Unidos matou outros três extremistas na província de Shabwa, no sul do Iêmen, disseram testemunhas. O jornal The Washington Post informou na semana passada que drones dos EUA conduziram pelo menos oito ataques no Iêmen nos últimos quatro meses. O governo do Iêmen, contudo, nega que aviões teleguiados dos EUA lancem ataques em seu território e o governo americano nunca reconheceu formalmente realizar tais ataques.

As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.