Confrontos deixam ao menos 14 civis mortos na Somália

Pelo menos 14 civis foram mortos hoje durante um prolongado confronto entre soldados do governo e insurgentes islâmicos. O embate ocorreu após um atentado suicida na capital somali, segundo funcionários e uma testemunha. Quatro pessoas ficaram feridas, incluindo dois soldados da União Africana (UA), no ataque suicida ocorrido perto de uma base da UA.

AE-AP, Agência Estado

27 de abril de 2010 | 15h35

Após esse atentado, insurgentes atacaram soldados do governo e milicianos islâmicos aliados do governo, enquanto eles se movimentavam para uma base no sul da capital. Isso levou a um confronto de quatro horas.

Ali Araf, um alfaiate da área, disse ter contado oito corpos. Ele também afirmou ter ficado levemente ferido no confronto. O chefe do serviço de ambulâncias de Mogadiscio, Ali Muse, disse que sua equipe contou outros seis corpos e levou pelo menos 40 feridos ao hospital.

O grupo Al-Shabab, ligado à Al-Qaeda, reivindicou o atentado. Um porta-voz da UA, major Barigye Bahoku, disse que apenas o suicida morreu no atentado, mas outros dois civis também se feriram.

A Somália não tem um governo de fato há 19 anos e militantes controlam grandes partes de Mogadiscio. Os insurgentes islâmicos tentam há três anos derrubar a frágil administração apoiada pelas Nações Unidas.

Tudo o que sabemos sobre:
Somáliaconfrontosmortescivis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.