Confrontos deixam mais de 100 feridos na Jordânia

Polícia usou canhões de água para apartar manifestantes e partidários do governo

estadão.com.br

25 de março de 2011 | 13h42

Policial segura manifestante que tenta atacar partidários do governo. Foto: Muhammad Hamed/Reuters

 

 

AMÃ - Forças de segurança usaram canhões da água nesta sexta-feira, 25, para frear um confronto entre partidários do governo e manifestantes pró-reformas na capital da Jordânia, Amã.

 

Veja também:

especialInfográfico:  A revolta que abalou o Oriente Médio

mais imagens Galeria de fotos: Veja imagens dos protestos na região

 

Seguidores do rei Abdullah atiraram pedras contra os manifestantes, ferindo mais de 100 pessoas, segundo um correspondente da Al Arabiya.

 

Cerca de mil jordanianos se reuniram no centro de Amã para protestar contra o governo e pedir mudanças no regime, que incluem reformas constitucionais, da dissolução da câmara baixa do Parlamento e da realização de novas eleições parlamentares.

 

Na noite de quinta, 30 pessoas ficaram feridas depois que manifestante foram atacados com pedradas em Amã.

 

A Jordânia foi cenário nas últimas semanas de uma série de manifestações com intensidade menor que a de outros países da região, enquanto o governo anunciou várias medidas para tentar satisfazer algumas das exigências populares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.