Confrontos deixam um morto e cinco feridos no Iêmen

País entrou no sexto dia de protestos contra o governo do presidente Abdullah Ali Saleh

Agência Estado

16 de fevereiro de 2011 | 13h52

Reunião de opositores de Saleh em Áden.

 

SANAA - No sexto dia de protestos contra o governo no Iêmen, foi confirmada a primeira morte causada por causa das manifestações no país. Há pelo menos outros cinco feridos, embora haja versões de que mais uma pessoa teria morrido e mais de uma dezena teriam se ferido.

 

Veja também:

especial Infográfico: A revolta que abalou o Oriente Médio  

blog Radar Global: Protestos no mundo islâmico

mais imagens Galeria de fotos: Protestos no mundo árabe

 

As autoridades do Iêmen enviaram 2 mil policiais para as ruas de Sanaa para tentar encerrar as manifestações contra o presidente, Ali Abdullah Saleh. O manifestante morreu e os outros ficaram feridos quando polícia disparou para o alto para dispersar os protestos em Áden, cidade portuária do sul do Iêmen.

 

A polícia fez disparos para o ar e impediu que milhares de estudantes da Universidade de Sanaa se juntassem aos manifestantes. Em Áden, a polícia usou munição de verdade, balas de borracha e gás lacrimogêneo contra centenas de manifestantes.

 

Um integrante das forças de segurança disse que o manifestante morto tem 23 anos. Ele teria sido baleado na cabeça. Os feridos foram confirmados por um funcionário do setor de saúde. Um deles estaria em estado grave.

 

Segundo testemunhas e fontes da oposição, uma outra pessoa teria morrido e mais 14 teriam ficado feridos por conta da repressão policial.

 

Os protestos no Iêmen ocorrem junto de manifestações na Argélia, na Líbia, no Irã e no Bahrein. A oposição desses países foi às ruas estimulada pelas marchas populares do Egito e da Tunísia, onde ditadores foram derrubados mais cedo neste ano.

 

Leia mais:

linkIêmen entra no sexto dia de protestos

Tudo o que sabemos sobre:
Iêmenprotestosconfrontosferidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.