Confrontos em Mianmar provocam fuga de 15 mil

Um dia após as eleições, rebeldes da etnia karen entram em choque com militares na fronteira com a Tailândia

AP e EFE, O Estado de S.Paulo

09 de novembro de 2010 | 00h00

RANGUM

Cerca de 15 mil cidadãos de Mianmar fugiram ontem para a Tailândia assustados com os confrontos entre forças do governo e rebeldes da etnia karen. Dez refugiados foram feridos por disparos feitos pelo Exército birmanês em direção à Tailândia. Segundo opositores ao regime de Mianmar, pelo menos sete pessoas teriam sido mortas durante os confrontos na cidade fronteiriça de Myawaddy, um dia após as criticadas eleições no país, que devem formar um Parlamento aliado ao regime militar, que governa Mianmar desde 1962.

Grupos que representam a minoria étnica - 40% da população - tinham ameaçado nos últimos dias com uma guerra civil se os militares tentassem impor sua amplamente centralizada Constituição e privá-los de seus direitos.

Os rebeldes chegaram a tomar uma delegacia de polícia e o escritório dos correios no município. Segundo a agência de notícias EFE, Myawaddy ficou desde o domingo sob controle do Exército Budista para a Democracia Karen, grupo rebelde que atua na região do Rio Moi, que separa Mianmar da Tailândia.

Mas o coronel tailandês Wannatip Wongway, responsável pela região fronteiriça, declarou ontem que as tropas de Mianmar aparentemente haviam retomado o controle em Myawaddy. Ele acrescentou que os rebeldes teriam alguns postos somente nas imediações da cidade. "Assim que a situação for controlada começaremos a mandar os refugiados de volta", disse o militar.

Campos de refugiados na Tailândia abrigam dezenas de milhares de birmaneses da etnia karen, que fugiram das décadas de confrontos na região fronteiriça. Mas ontem foi o dia em que a maior onda de emigração foi registrada nos últimos anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.