Amr Hafez/AP
Amr Hafez/AP

Confrontos entre manifestantes e policiais deixam 50 feridos no Egito

Confrontos ocorreram após rumor que torcedor de time de futebol havia sido detido e espancado

Efe,

16 de dezembro de 2011 | 09h14

CAIRO - Ao menos 50 pessoas ficaram feridas nesta sexta-feira, 16, em confrontos entre manifestantes e a polícia militar perto da sede do Conselho de Ministros do Egito, no centro do Cairo, informou à Agência Efe uma fonte dos serviços de segurança.

 

Veja também:

especialMAPA: A revolta que abalou o Oriente Médio

A fonte explicou que os confrontos ocorreram na madrugada desta sexta-feira depois que se espalhou um rumor entre os manifestantes acampados na área de que um deles, torcedor do time de futebol Al Ahli, havia sido detido e espancado pelas forças de segurança.

Segundo a fonte, os manifestantes começaram a lançar pedras contra policiais concentrados na sede do Conselho de Ministros, que revidaram com golpes violentos.

Os manifestantes atearam fogo em três carros estacionados e as chamas chegaram até algumas barracas próximas, indicou a fonte.

No entanto, o jornal independente "Al-Masry Al-Youm" informou em seu site que a polícia iniciou os incidentes, ao atacar a manifestação em frente à sede do Conselho de Ministros lançando pedras e jatos de água de um edifício ao lado do Parlamento.

A fonte dos serviços de segurança acrescentou que após um período de normalidade, os confrontos recomeçaram nas primeiras horas desta sexta-feira.

A própria polícia e os manifestantes, aos quais se juntaram dezenas de pessoas, atiraram pedras, cadeiras, pedaços de madeira e tudo o que encontraram em uma rua próxima ao edifício do Conselho de Ministros, destacou a fonte.

Os policiais também usaram mangueiras de água para dispersar o protesto.

Dezenas de pessoas mantêm um acampamento em frente à sede do Conselho de Ministros e em uma das laterais da Praça Tahrir desde que o local foi reaberto ao tráfego em 11 de dezembro para protestar contra o novo governo de transição dirigido por Kamal Ganzouri, primeiro-ministro entre 1996 e 1999 durante o mandato do ex-presidente Hosni Mubarak.

As imediações da praça foram palco de violentos confrontos entre manifestantes e a polícia no final do mês passado, dando início a um grande acampamento contra a junta militar no local e causando a renúncia do Executivo do anterior primeiro-ministro Essam Sharaf.

Na quinta-feira, foi realizado o primeiro turno da segunda etapa das eleições parlamentares em nove províncias do Egito, após a vitória dos islâmicos na fase inaugural das eleições, iniciadas em 28 de novembro.

Tudo o que sabemos sobre:
Primavera ÁrabeEgito

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.