Confrontos entre polícia e cocaleiros deixam 28 feridos no Peru

A política de erradicação de cultivos defolha de coca na floresta central do Peru provocou na segunda-feira violentos confrontos entre policiais e cocaleiros, que deixaram pelo menos 28feridos, entre eles um está em coma e três foram detidos, informou a imprensa local. A bancada parlamentar do Partido Nacionalista, liderada pelo ex-candidato presidencial Ollanta Humala, afirmou que a incursão policial em Sión "deixou 28 feridos e que um deles, baleado, está em coma". Segundo a polícia, vários membros das forças de segurança e um trabalhador do projeto especial de Controle e Redução dos Cultivos de Coca no Alto Huallaga sofreram ferimentos, além de serem atingidos por tiros de chumbo. "Os efetivos da Polícia Antidrogas responderam com gás lacrimogêneo devido ao comportamento hostil dos 300 agressores", afirmaram fontes policiais. A polícia negou ter usado armas de fogo durante a operação e informou que deteve três pessoas. A bancada parlamentar do Partido nacionalista, ao qual é filiada a líder cocalera Nancy Obregón, disse em comunicado que os policiais usaram armas de fogo e reiterou que um dos manifestantes, ferido a bala, se encontra em estado de coma. "Esta arbitrária e intempestiva incursão tem o propósito de provocar a repressão de humildes camponeses, romper qualquer tipo de diálogo e conseguir a ratificação da burocracia nos órgãos que controlam e reduzem os cultivos de folha de coca no vale do Alto Huallaga", criticou a bancada, composta por 42 parlamentares. "Expressamos nossa solidariedade aos camponeses que foram injustamente atacados e exigimos do governo um pronunciamento claro. Defendemos a descriminalização e industrialização das folhas decoca", conclui o texto. Depois da Colômbia, o Peru é o segundo maior produtor de folhas de coca e cocaína do mundo, segundo o Relatório Mundial de Drogas 2006 do Escritório das Nações Unidas contra a Droga e o Delito. De acordo com números oficiais, cerca de 60 mil famílias peruanas produzem folha de coca, base da cocaína, em 14 vales agrícolas no centro e sul do Peru, recebendo um pagamento mínimo dos narcotraficantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.