Michael Onyiego/AP
Michael Onyiego/AP

Confrontos entre Sudão e Sudão do Sul preocupam Conselho da ONU

Nações Unidas manifestaram alarme sobre os confrontos na fronteira e cogitaram risco de uma nova guerra

Reuters, REUTERS

27 Março 2012 | 19h51

NAÇÕES UNIDAS - O Conselho de Segurança da ONU manifestou nesta terça-feira, 27, alarme com os recentes confrontos entre o Sudão e o Sudão do Sul ao longo da fronteira disputada e pediu a ambos os países que suspendam suas operações militares, alertando para o risco de uma nova guerra.

Os dois governos se culpam mutuamente pelos confrontos. O Sudão do Sul disse que o Sudão bombardeou na terça-feira campos petrolíferos no seu Estado da Unidade, num dos mais graves incidentes desde que o Sudão do Sul se tornou independente, em julho.

"O Conselho de Segurança pede aos governos do Sudão e do Sudão do Sul que exerçam o máximo de moderação e mantenham um diálogo resoluto a fim de tratar pacificamente das questões que estão alimentando a desconfiança entre os dois países", disseram os 15 países do Conselho em nota.

O Sudão do Sul ficou independente conforme previa um acordo de paz de 2005 que encerrou décadas de guerra civil entre o norte e o sul do Sudão. Mas ainda há profundas desconfianças entre os dois lados, e atritos por conta da demarcação das fronteiras e das taxas que o Sudão do Sul, sem acesso ao mar, precisaria pagar a Cartum para escoar sua produção petrolífera.

O Sudão negou ter bombardeado o país vizinho, mas disse que suas forças terrestres atacaram posições de artilharia sul-sudanesas que teriam feito disparos contra a disputada região petrolífera de Heglig, que é parcialmente controlada por Cartum.

Mais conteúdo sobre:
ONU SUDAO CONFRONTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.