Confrontos matam 8 militantes e 2 soldados na Argélia

Pelo menos oito supostos militantes e dois soldados morreram durante enfrentamentos entre os suspeitos e o Exército argelino nesta semana. As mortes ocorreram no momento em que autoridades lançam operações contra bases terroristas vinculadas à rede terrorista Al-Qaeda perto da capital Argel, disseram funcionários locais e a imprensa.

AE-AP, Agencia Estado

09 de maio de 2009 | 18h19

Três milicianos morreram na quinta-feira, quando o Exército atacou um bastião terrorista na zona de Amejoud, perto de Tizi Ouzou, 100 quilômetros a leste da capital, segundo as fontes. O enfrentamento durou um dia inteiro, até que os milicianos se refugiaram nas montanhas de Kabylie, uma região instável, que nos últimos meses sofre com ataques da Al-Qaeda no Norte da África Islâmica, uma filial local da rede mundial.

Soldados e guardas paramilitares encontraram armas automáticas, medicamentos e material de computadores nas bases, segundo um funcionário local em Tizi Ouzou. A fonte, que pediu anonimato, disse que dois soldados morreram e outros dez soldados e guardas ficaram feridos. Os jornais Liberté y El Watan também relataram o enfrentamento.

A filial local da Al-Qaeda foi criada com o que restava de um grupo miliciano da década passada, quando aumentava a luta entre islâmicos insurgentes e forças de segurança no país. Aproximadamente 200 mil pessoas morreram por causa da violência ligada aos militantes na Argélia, desde 1992.

Tudo o que sabemos sobre:
Argéliaviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.