Confrontos matam dez pessoas nas Filipinas

Choques entre exército e guerrilha foram registrados em sete cidades da província sulina de Maguindanao

Efe,

22 de agosto de 2008 | 04h01

Dez rebeldes morreram nesta sexta-feira, 22, em novos combates entre a Frente Moura de Libertação Islâmica (FMLI) e o Exército no sul das Filipinas, um dia depois que a organização separatista rejeitou renegociar o acordo de paz com o governo de Manila, informaram fontes militares. Os confrontos foram registrados em sete cidades da província sulina de Maguindanao onde, no total, 26 rebeldes e um soldado morreram nos últimos três dias. Com a tensão aumentando, a Anistia Internacional alertou nesta sexta sobre o perigo do governo seguir fomentando a formação de milícias de civis que enfrentam os rebeldes do FMLI. A organização comprometida com a defesa dos direitos humanos assegurou, em uma nota enviada à imprensa, que políticos locais de Cotabato do Norte e de outras províncias do sul forneceram armas e munição a civis, nos últimos dias. O chefe da Polícia nacional, Avelino Razon, confirmou que seu departamento recrutou voluntários, entre os quais distribuirá cerca de mil metralhadoras e outras 12.000 armas de fogo. A ONG disse que "o desenvolvimento de milícias civis por parte do governo pode suscitar uma cadeia de represálias que só aumentará o perigo enfrentado pela população".

Tudo o que sabemos sobre:
Filipinasguerrilhaconfrontos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.