Confrontos matam pelo menos 23 militantes no Iêmen

Soldados do Exército do Iêmen entraram em confronto com a Al-Qaeda em duas cidades do sul do país. Os confrontos deixaram pelo menos 23 militantes mortos, informou o Ministério da Defesa nesta terça-feira.

AE, Agência Estado

05 de junho de 2012 | 11h43

Há semanas o governo tem afirmado que está para recapturar Zinjibar, a capital da província de Abyan, sul iemenita, sob domínio dos militantes há um ano, e que estava avançando em Jaar, reduto da Al-Qaeda. Mas os confrontos nas duas cidades continuam.

O Ministério informou que ocorreram intensos combates durante a noite entre tropas do governo, apoiador por artilharia, em Zinjibar e na cidade próxima de Qut, que deixaram pelo menos 23 mortos, dentre eles paquistaneses e somalis.

Outro confronto na cidade de Jaar deixou dez combatentes da Al-Qaeda mortos ou feridos, informaram militares, que falaram em condição de anonimato.

Na segunda-feira, dois suicidas tentaram atingir quartéis do Exército e postos de verificação no leste de Zinjibar numa tentativa de interromper o avanço militar no sul, matando quatro milicianos ligados ao Exército. A Al-Qaeda tem aumentado o uso de suicidas e carros-bomba para barrar a ofensiva militar no sul.

Militantes ligados à Al-Qaeda se aproveitaram da turbulência política do ano passado para tomar o controle de grandes trechos de território iemenita no sul do país. O braço da rede no Iêmen, conhecido como Al-Qaeda na Península Arábica, esteve por trás da fracassada tentativa de explodir um avião comercial norte-americano no Natal de 2009. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
IêmenAl-Qaedaconfrontos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.