Confrontos na capital da Somália deixam 21 mortos

Confrontos entre militantes islâmicos e tropas ligadas ao governo ocorreram em várias partes da capital da Somália hoje, matando pelo menos 21 pessoas e ferindo 78. Morteiros caíram em bairros do norte e do sul de Mogadiscio enquanto militantes lançavam ataques com granadas propelidas por foguetes e metralhadoras, segundo uma testemunha.

AE-AP, Agência Estado

23 de setembro de 2010 | 12h39

No sul da capital somali, soldados do governo e da União Africana (UA) tentavam retirar os insurgentes de uma estrada estratégica usada por autoridades do governo. Ali Muse, chefe do serviço de ambulâncias da capital, disse que pelo menos 21 pessoas morreram e 78 ficaram feridas.

O grupo militante mais perigoso da Somália, o al-Shabab, lançou uma séria de ataques no últimos mês após declarar uma "nova" guerra contra o governo somali. Atualmente, 7.100 soldados da UA estão estacionados em Mogadiscio para proteger o pequeno enclave onde atua o fraco governo da Somália, apoiado pela Organização das Nações Unidas (ONU). O país não tem um governo funcional desde 1991. Os militantes desejam derrubar a administração transitória e promover uma rígida interpretação do Islã em todo o país.

Tudo o que sabemos sobre:
confrontoSomáliamortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.