Khalil Hamra/AP
Khalil Hamra/AP

Confrontos no Cairo deixam dois mortos

Manifestantes morreram após serem atingidos por tiros; onda de violência já deixou mais de 60 mortos

AE, Agência Estado

30 de janeiro de 2013 | 13h46

CAIRO - Um funcionário de segurança do Egito disse que dois manifestantes morreram em confrontos nesta quarta-feira, 30, na praça Tahrir e arredores, na capital Cairo.

O funcionário disse que as duas pessoas morreram após serem atingidas por tiros, enquanto manifestantes atiravam pedras contra a polícia. As vítimas são as mais recentes entre os mais de 60 mortos na onda de violência nos últimos seus dias, que também deixou centenas de feridos.

A violência no Egito entrou em espiral após emergir na sexta-feira no Cairo, na véspera do segundo aniversário da revolta que derrubou o autoritário presidente Hosni Mubarak. A turbulência espalhou-se por todo o país, com a pior onda de violência sendo observada na cidade de Port Said, que praticamente declarou-se em revolta contra o presidente islâmico.

Direitos Humanos

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, pressionou o presidente Mohamed Morsi sobre a "importância de manter a linha de diálogo sempre aberta para todas as forças políticas no Egito para que elas possam fazer suas contribuições e de respeitar os direitos humanos e a liberdade de religião".

Com informações da Associated Press e da Dow Jones

Tudo o que sabemos sobre:
primavera árabeEgitoCairo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.