Confrontos no Iêmen deixam 250 mortos em três dias

Ao menos 250 pessoas morreram em confrontos entre os rebeldes xiitas Houthi e uma tribo da cidade de Radda, no Iêmen, nos últimos três dias, informaram autoridades do país nesta segunda-feira. A onda de violência acontece na província central de Bayda entre os Houthis e os membros da força tribal Qifa.

Estadão Conteúdo

27 de outubro de 2014 | 11h42

A cidade foi invadida pelos Houthis após o comandante do batalhão 193 do país abandonar as posições de suas tropas. Acredita-se que o militar em questão seja leal ao presidente deposto Ali Abdullah Saleh, que saiu do comando do país após o levante popular de 2011.

Os xiitas tomaram controle da capital do Iêmen, Sanaa, em setembro e desde então mantêm batalhas com tribos rivais e militantes de um braço da Al-Qaeda no país. Um acordo de paz foi assinado entre os Houthis e o governo, mas até o momento o acerto não conseguiu pôr fim à luta.

O presidente do Iêmen, Abed Rabbo Mansour Hadi, criticou os integrantes do grupo pela primeira vez desde que a capital foi tomada. "A expansão armada dos Houthis em diversas províncias e áreas sob diferentes motivos e slogans inconsistentes é incompreensível ou inaceitável após a assinatura do acordo de paz e parceria nacional", afirmou. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.