Reuters
Reuters

Confrontos no leste da Ucrânia deixam 7 militares mortos, diz Kiev

Forças ucranianas usam blindados para tentar retomar cidade no leste do país

O Estado de S. Paulo,

13 Maio 2014 | 14h42

(Atualizada às 16h38) KIEV -  Sete militares ucranianos morreram e sete ficaram feridos nesta terça-feira, 13, em combates entre o exército e insurgentes pró-Rússia nas redondezas da cidade de Kramatorsk, na região de Donetsk, informou o Ministério da Defesa da Ucrânia.

Segundo o ministério, uma coluna das Forças Armadas da Ucrânia foi atacada por insurgentes armados perto de Kramatorsk. "Como resultado de um longo combate, morreram seis militares da Ucrânia. Oito ficaram feridos, um deles em estado grave", de acordo com o ministério.

Anteriormente, a imprensa russa informou que uma ofensiva das forças ucranianas com blindados estava sendo realizada na cidade.

Segundo um porta-voz insurgente citado pela agência russa Itar-Tass, os combates começaram quando uma coluna de veículos blindados ucranianos circulava por uma estrada próxima à aldeia de Oktiabrskoye, a cerca de 15 quilômetros de Kramatorsk.

"As forças da autodefesa cortaram a passagem, destruíram dois blindados, um tanque e um veículo com equipamentos militares. O segundo veículo pegou fogo e durante meia hora cartuchos e projéteis que estavam armazenados nele explodiram", disse o representante dos insurgentes.

A fonte acrescentou que durante os combates a população local se refugiou nos porões de suas casas e, como resultado dos enfrentamentos, a cidade ficou sem eletricidade.

Depois, a cidade foi rodeada completamente pelas forças ucranianas, que realizaram revistas em seu interior na busca de sublevados, acrescentou o porta-voz.

A região de Donetsk proclamou ontem sua independência, assim como a vizinha Lugansk, após um referendo no qual a maioria pró-Rússia votou a favor da separação da Ucrânia, cujas autoridades não reconhecem o resultado da consulta. / EFE

Mais conteúdo sobre:
Kiev Ucrânia Rússia

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.