Confrontos tribais no sul da Líbia deixam 31 mortos

Confrontos entre duas tribos no sul da Líbia deixaram 31 mortos e 65 feridos, informou neste domingo o Ministério da Saúde do país. Os confrontos começaram na sexta-feira na cidade de Sabha, que fica cerca de 650 quilômetros ao sul de Trípoli.

AE, Agência Estado

12 de janeiro de 2014 | 18h22

De acordo com um líder local, os combates foram desencadeados pelo assassinato de um guarda do líder militar da cidade, que é membro da tribo de origem árabe Awlad Soliman. A morte teria sido uma vingança pelo assassinato de dezenas de membros da tribo Tabu, de origem africana, em 2012.

Sabha, que já foi um reduto de apoio ao ex-ditador Muamar Kadafi, foi uma das últimas cidades a ser tomada pelos rebeldes, em 2011. É também a última grande cidade no extremo sul do país e fica em uma importante estrada que leva à fronteira com o Níger. A morte de Kadafi e a queda de suas tribos aliadas na região permitiu que a tribo Tabu tomasse o controle das fronteiras.

Em um incidente não relacionado, o vice-ministro da indústria da Líbia, Hassan al-Droui, foi morto a tiros durante visita a sua cidade natal, Sirte, a leste de Trípoli. A morte do vice-ministro marcou o primeiro assassinato de um membro do alto escalão do governo desde a queda do regime de Kadafi. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
LÍBIAVIOLÊNCIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.