Jerome Delay/AP
Jerome Delay/AP

Congoleses protestam contra 'impotência' do exército em Goma

Cidade foi capturada em 20 de novembro por milicianos do grupo M23, formado por soldados desertores

AE, Agência Estado

06 de dezembro de 2012 | 16h50

GOMA - Dezenas de congoleses protestaram nesta quinta-feira, 6, em Goma contra o que qualificaram como "impotência" do exército diante do avanço de um grupo rebelde que tomou o controle da cidade há pouco mais de duas semanas.

Os moradores de Goma também criticaram a "passividade" dos mantenedores de paz da Organização das Nações Unidas (ONU), que pouco fizeram para conter os rebeldes sob a alegação de que não podiam desrespeitar seu mandato.

Goma, uma cidade de aproximadamente 1 milhão de habitantes no leste da República Democrática do Congo, foi capturada em 20 de novembro por milicianos do grupo M23, formado por soldados desertores congoleses. Depois de dias de negociações e pressão internacional, os rebeldes deixaram Goma durante o último fim de semana. No entanto, os milicianos estão acampados a apenas três quilômetros da entrada da cidade.

"Nós denunciamos o fracasso dos ministros de interior, de defesa e do comando do exército. Queremos que renunciem. Uma equipe que não funciona deve ser mudada", disse Luc Nkulula, um dos manifestantes.

Amanhã, uma delegação rebelde deverá viajar à vizinha Uganda para negociações formais com o governo do Congo.

As informações são da Associated Press

Mais conteúdo sobre:
Congogrupo M23Goma

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.