Congresso de Guerrero aprova renúncia de governador no México

Ángel Aguirre pediu para sair do cargo na quinta-feira para facilitar as investigações sobre o caso dos 43 estudantes desaparecidos na cidade de Iguala

O Estado de S. Paulo, O Estado de S. Paulo

25 de outubro de 2014 | 18h43

CHILPANCINGO - O Congresso do Estado de Guerrero aprovou neste sábado, 25, a renúncia do governador Ángel Aguirre, que pediu para sair de seu cargo na quinta-feira para facilitar as investigações sobre o caso dos 43 estudantes desaparecidos na cidade de Iguala.

O plenário do Congresso de Guerrero aprovou por unanimidade a solicitação do governador, em uma sessão extraordinária realizada nesta madrugada.

Aguirre, do esquerdista Partido da Revolução Democrática (PRD), anunciou sua renúncia na quinta-feira passada após a radicalização dos protestos de estudantes, professores e familiares dos desaparecidos com ataques a vários edifícios oficiais em Guerrero.

Sua saída do poder era uma das principais reivindicações das famílias dos 43 alunos da Escola Normal de Ayotzinapa que desapareceram há mês em Iguala após terem sido detidos por policiais e entregues ao cartel Guerreros Unidos, segundo a investigação.

Além disso, naquela noite, 6 pessoas morreram e 25 ficaram feridas em ataques a tiros realizados por policiais locais por ordens do então prefeito de Iguala, José Luis Abarca, e sua mulher, María de Los Angeles Pineda, operadores dos Guerreros Unidos e hoje foragidos da Justiça.

Os deputados de Guerrero, no sul do México, marcaram uma nova sessão para terça-feira, na qual se decidirá quem será o sucessor do já ex-governador, uma decisão que corresponde à comissão de governo do congresso local. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
MéxicoGuerroIguala

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.