Congresso do Equador fica suspenso por disputas internas

O presidente do Congresso equatoriano, Jorge Cevallos, suspendeu nesta terça-feira, 3, as sessões da Casa. A paralização, prevista para durar uma semana, tem por objetivo encontrar uma solução jurídica para a disputa entre deputados da oposição e partidários do governo sobre a instalação de uma Assembléia Constituinte. Cevallos tinha convocado uma sessão para esta terça-feira, 3, mas devido a uma briga entre dezenas de deputados da oposição destituídos com seus suplentes, decidiu dar um prazo para encontrar uma saída. "Eu me vejo na obrigação de suspender a sessão ordinária para o dia de hoje (terça)... e convocar para terça-feira, 10 de abril, a sessão ordinária", disse Cevallos a jornalistas. A disputa começou quando o tribunal eleitoral destituiu 57 deputados que foram contra a convocação de um referendo no dia 15 de abril para aprovar ou não a criação da assembléia constituinte, base do plano político do presidente Rafael Correa. Cevallos tenta dar um tempo ao Tribunal Constitucional (TC) para que seja resolvido se a destituição dos deputados é válida ou se seus suplentes, que apóiam a iniciativa de Correa, devem permanecer no cargo. O tribunal não tem prazo para se pronunciar. O Congresso de 100 membros não tem podido operar normalmente há quase um mês.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.