Congresso do Equador pode aprovar Constituinte

Pressionado pelo segundo dia de manifestações em apoio ao governo, o Congresso do Equador reiniciou suas sessões nesta quarta-feira aparentemente disposto a aprovar a consulta popular sobre uma Assembléia Constituinte, proposta pela administração socialista de Rafael Correa. Os deputados - que na terça-feira tiveram de fugir do Parlamento em meio a um protesto que deixou três feridos - retomaram a análise do plebiscito depois que a segurança foi reforçada.Apesar de ser composto exclusivamente por deputados de oposição ao presidente Correa, a quem acusam de incitar a violência, o Congresso obteve os votos necessários para "favorecer" a consulta (convocada para 18 de março), disse o presidente da Casa, o direitista Jorge Cevallos. O partido de Correa boicotou as eleições legislativas do país."Se o governo tivesse permitido que o Congresso trabalhasse ontem (terça-feira) já haveria uma aprovação, pois existiam os votos", disse Cevallos. Se os deputados aprovarem a proposta, o pedido de consulta deve ser devolvido ainda esta semana ao Tribunal Supremo Eleitoral (TSE) para que ele organize o plebiscito.Horas antes do anúncio de Cevallos, Correa afirmou que temia por sua vida, após denunciar que o Congresso conspirava para depô-lo ao opor-se à Constituinte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.