Congresso do Peru aprova rodovia para Machu Picchu

O Congresso do Peru aprovou ontem um projeto para a construção de uma rodovia até a cidadela inca de Machu Picchu, para evitar que se repita a situação de isolamento em que ficou o complexo arqueológico no início do ano, pela destruição da via do trem, até hoje o único meio de transporte de massa para se chegar no local.

AE-AP, Agência Estado

10 de setembro de 2010 | 14h27

O colapso da via férrea em janeiro, pelas fortes chuvas e por transbordamentos de rios, levou ao fechamento por mais de dois meses de Machu Picchu, principal atração turística do Peru, provocando prejuízos econômicos calculados em mais de US$ 100 milhões.

Os parlamentares argumentaram que a nova via de transporte para veículos evitará também que turistas fiquem presos, como ocorreu no início do ano. Os estrangeiros tiveram de ser retirados em helicópteros, em uma operação de resgate que durou cinco dias.

O fechamento de Machu Picchu durou desde o fim de janeiro até o início de abril, quando se habilitou uma rota para permitir o acesso ao sítio arqueológico. Apesar disso, o serviço de trens só foi restabelecido em 1º de julho.

A nova rodovia ligará Cuzco a dois povoados, antes de chegar a Águas Calientes, de onde se pega um ônibus para em 20 minutos se chegar na famosa cidade de pedra. A lei deve ser aprovada pelo presidente Alan García para sua execução. Machu Picchu fica na região de Cuzco, encravada entre montanhas de selvas 500 quilômetros a sudeste de Lima. Diariamente, 1.500 pessoas visitam o local.

Tudo o que sabemos sobre:
Machu PicchuPeruconstruçãorodovia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.