Congresso dos EUA aprova novas sanções contra Irã

Medidas punem companhias estrangeiras que negociam com iranianos.

BBC Brasil, BBC

24 de junho de 2010 | 23h12

O Congresso dos Estados Unidos aprovou novas sanções contra companhias estrangeiras que comerciem com o Irã, devido ao programa nuclear do país.

O projeto agora precisa ser enviado para o presidente, Barack Obama, para ser transformado em lei.

As companhias que fornecerem equipamentos para a Guarda Revolucionária iraniana ou contribuírem para a indústria energética do país serão punidas pelas sanções.

O Senado e a Câmara dos Representantes agiram rápido nesta quinta-feira para chegar a um acordo sobre as novas punições. A votação no Senado foi de 99 votos a favor, nenhum contra e, na Câmara dos Representantes, a votação foi de 408 a oito votos contra.

"Devemos evitar que o Irã desenvolva uma arma nuclear, uma arma que certamente ameaçaria a segurança nacional dos Estados Unidos e de Israel", afirmou o senador democrata Harry Reid, líder da maioria no Senado.

O senador republicano John McCain, afirmou que as companhias estrangeiras precisam fazer uma escolha.

"Vamos oferecer uma escolha para as companhias do mundo todo: vocês querem fazer negócios com o Irã? Ou vocês querem fazer negócios com os Estados Unidos?"

"Não acreditamos que exista muita escolha, mas vamos obrigar as companhias a fazer esta escolha. Elas não podem negociar com os dois", acrescentou o republicano.

Sanções

No começo do mês o Conselho de Segurança da ONU aprovou uma quarta rodada de sanções contra o Irã, por conta de seu programa nuclear.

As novas sanções ampliam medidas já em vigor, ao proibir a venda de várias categorias de armamento pesado ao Irã, incluindo helicópteros de ataque e mísseis.

Também fica estabelecido que todos os países inspecionem em seus portos e aeroportos cargas suspeitas de conter itens proibidos com destino ou origem no Irã.

As sanções incluem ainda 40 empresas e um alto funcionário ligado ao programa nuclear à lista de pessoas e companhias iranianas sujeitas a restrições de viagens e congelamento de ativos. No entanto, as medidas não foram tão severas como queriam os americanos.

Os Estados Unidos, que defenderam a aprovação das sanções, suspeitam que o regime iraniano esteja tentando desenvolver tecnologia nuclear militar. O Irã diz que seu programa de enriquecimento de urânio tem fins civis e pacíficos.

As outras três rodadas de sanções aprovadas anteriormente pela ONU bloquearam o comércio de material nuclear mais importante, congelaram os bens financeiros dos envolvidos nas atividades nucleares do Irã, proibiram todas as exportações de armas do país e encorajaram investigações de negociações em bancos iranianos.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.