Michael Reynolds / EFE
Michael Reynolds / EFE

Congresso dos EUA deve rejeitar emergência de Trump para muro na fronteira

Resolução para anular a medida tem apoio suficiente no Senado para passar, segundo o líder da maioria na Casa, mas ele prevê que presidente a vetará

Redação, O Estado de S.Paulo

05 de março de 2019 | 14h28

WASHINGTON - O Congresso dos Estados Unidos está prestes a emitir uma refutação contundente ao presidente Donald Trump em razão de sua declaração de emergência na fronteira com o México. Além disso, um republicano de alto escalão prevê que o Senado aprovará uma resolução para rejeitá-la.

Já aprovada pela Câmara dos Deputados, a resolução para anular a declaração tem apoio suficiente no Senado para passar, disse o líder da maioria, Mitch McConnell, na segunda-feira, 4. Mas ele previu que Trump vetará a resolução assim que ela chegar à sua mesa, e disse também que não haveria votos suficientes no Congresso para derrubar o veto.

Isso faria a declaração de emergência – uma tentativa de driblar o Congresso para obter financiamento para a construção de um muro na fronteira – entrar em vigor, o que a encaminharia aos tribunais para uma batalha legal entre a Casa Branca e os democratas.

Um debate interno sobre o tema continuará no Senado nesta terça e espera-se uma votação antes do fim da próxima semana. Embora o desfecho no Senado seja incerto, os comentários de McConnell são indícios fortes de uma aprovação.

Uma votação do Senado controlado pelos republicanos para bloquear a declaração seria um grande constrangimento para Trump. Ao longo de mais de dois anos de governo, ele foi incapaz de persuadir o Congresso a custear seu muro, mesmo quando Câmara dos Deputados e Senado eram controlados por seus colegas republicanos.

Trump declarou uma emergência nacional no dia 15 de fevereiro por não ter convencido o Congresso a lhe dar os US$ 5,7 bilhões que queria para o muro. / Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.