Jim Watson / AFP
Jim Watson / AFP

Congresso dos EUA não aprovará dinheiro para muro tão rápido como quer Trump

De acordo com o jornal 'The Washington Post', presidente desejava incluir recursos suplementares na lei de financiamento que será votada pelo Congresso; democratas ameaçam bloquear o projeto e paralisar o Executivo

O Estado de S.Paulo

29 de março de 2017 | 15h49

WASHINGTON - Líderes republicanos do Congresso dos Estados Unidos revelaram na noite de terça-feira que rejeitarão a ideia do presidente Donald Trump de aprovar dinheiro para o muro com o México através de um suplemento a uma lei de financiamento para o governo.

De acordo com o jornal The Washington Post, a Casa Branca pediu US$ 33 bilhões adicionais para o Departamento de Defesa e para aumentar a segurança fronteiriça, com cortes de US$ 18 bilhões em programas de pesquisa médica e de trabalho.

O projeto de lei de financiamento no qual Trump pretende incluir estes recursos suplementares dotará de fundos o governo para o desafio do ano a partir de 28 de abril e seu bloqueio no Congresso provocaria a paralisação do Executivo.

Os legisladores democratas ameaçaram vetar qualquer verba que o Congresso pretenda aprovar para a construção do muro que Trump quer erguer na fronteira com o México, um bloqueio que deixaria o governo sem financiamento.

O senador republicano Roy Blunt disse que as duas câmaras do Congresso estão muito perto de um acordo sobre a lei de financiamento e o dinheiro para o muro poderá ser abordado "mais adiante", no final do ano.

Seu colega republicano Richard Shelby, citado pelo Washington Post, disse que introduzir o suplemento com a verba para o muro é dar uma desculpa aos democratas para que bloqueiem o projeto inteiro e de quebra, o governo.

"Não acredito que necessitemos de uma desculpa para a paralisação de governo. Não acredito que ninguém racional queira uma paralisação de governo", disse Shelby.

Por outro lado, a senadora democrata Claire McCaskill estimou que a construção do muro teria um custo total de US$ 67 bilhões, longe dos US$ 21,6 bilhões apontados pelo governo e dos US$ 8 bilhões que Trump disse inicialmente que custaria.

De acordo com a senadora, ao extrapolar os US$ 2,8 bilhões que Trump solicitou oficialmente para as primeiras 75 milhas no orçamento de 2018, o número para toda a fronteira chegaria a US$ 67 bilhões. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.