Congresso hondurenho decepciona Estados Unidos e UE

Os Estados Unidos e a União Europeia (UE) estão "decepcionados" que os congressistas de Honduras não tenham reconduzido o presidente deposto do país, Manuel Zelaya, ao cargo, disseram porta-vozes nesta tarde.

AE, Agencia Estado

03 de dezembro de 2009 | 16h29

"Nós lamentamos que o desfecho das deliberações do Congresso de Honduras não pareça ter facilitado a solução da crise política", disse Lutz Guellner, porta-voz da nova chanceler da UE, Catherine Ashton. Em Washington, um porta-voz do Departamento de Estado disse que os EUA estão "desapontados" que o Congresso hondurenho não tenha reconduzido Zelaya à presidência.

"A UE pede a todos os atores no processo que busquem uma solução para alcançar a reconciliação nacional e restaurar a ordem democrática e constitucional no país e esperamos que eles assumam a responsabilidade total em vista disso", Guellner disse à AFP.

Na noite de ontem, os deputados hondurenhos rejeitaram a volta de Zelaya ao poder, durante um debate acalorado que lembrou detalhes do golpe de Estado de 28 de junho que polarizou o país. A votação sobre a volta ou não de Zelaya aconteceu três dias após o candidato conservador Porfírio Lobo vencer uma controversa eleição presidencial, que aconteceu sob o regime de facto e sem Zelaya. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
HondurasCongressoEstados UnidosUE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.