Congresso nigeriano aprova volta de subsídio à gasolina

Lagos, 8 - Os congressistas da Nigéria aprovaram uma resolução para que o presidente do país, Goodluck Jonathan, volte atrás em sua decisão de cortar subsídios aos combustíveis que mantinham os preços da gasolina baixos. A resolução, no entanto, não deve evitar uma greve programada para segunda-feira que tem como objetivo protestar contra o aumento nos preços dos combustíveis.

Agência Estado

08 de janeiro de 2012 | 21h07

Desde o início de janeiro, quando os subsídios deixaram de ser aplicados, o preço da gasolina subiu de US$ 1,70 por galão (US$ 0,45 por litro) para pelo menos US$ 3,50 por galão (US$ 0,94 por litro). A mudança causou um aumento nos preços dos alimentos e do transporte na Nigéria, nação onde a população vive com menos de US$ 2 por dia.

Em resposta a isso, dois grandes sindicatos nigerianos anunciaram que vão promover greves, mesmo depois de uma ordem judicial proibi-los de prosseguir com esses planos. A situação é bastante semelhante ao cenário de 2003, quando manifestantes nigerianos atacaram lojas que continuaram abertas mesmo após o anúncio das greves, assumiram o controle do tráfego aéreo e sabotaram a produção de petróleo.

Durante a sessão emergencial da Câmara nigeriana neste domingo, que foi televisionada em todo o país, até mesmo membros do partido de Jonathan criticaram o presidente. Outros disseram que a remoção dos subsídios ocorreu sem que eles tivessem conhecimento, indicando que o governo adotou uma atitude unilateral. As informações são da Associated Press. (Equipe AE)

Tudo o que sabemos sobre:
Nigériagasolinaimposto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.