Congresso peruano aprova novas acusações contra Fujimori

Quatro novas acusações contra o ex-presidente Alberto Fujimori foram aprovadas pelo Congresso peruano, desta vez por roubo, fraude, tráfico de armas e violações aos direitos humanos. As novas acusações reforçarão o pedido de extradição de Fujimori feito pelo governo peruano ao Japão em julho, segundo uma comissão investigadora do parlamento. O ex-presidente, que se refugiou no Japão, já enfrenta no Peru mais de uma dezena de processos penais por supostos delitos cometidos durante sua gestão (1990-2000), entre eles, peculato, enriquecimento ilícito e violações aos direitos humanos. Fujimori nega todas as acusações. O plenário do Congresso ouviu, ontem à noite, o informe de uma comissão investigadora, presidida pelo deputado Ernesto Herrera, que encontrou indícios para acusar Fujimori por supostas irregularidades no manejo de doações procedentes do Japão. A comissão descobriu um rombo de US$ 4,6 milhões nos balanços das ONGs Aken e Apenki, fundadas e administradas por familiares do ex-presidente. Por 69 votos a favor, nenhum contra e três abstenções, foi aprovada a acusação contra Fujimori de roubo e fraude na administração de pessoas jurídicas (empresas). Por 63 votos a favor, nenhum contra e duas abstenções, foi aprovada também uma acusação de vendas de armas à guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Fujimori foi responsabilizado também, por 65 votos, nenhum contra e uma abstenção, por delitos contra os direitos humanos no caso de detenção e desaparecimento de 67 estudantes universitários da cidade de Huncayo e de vários habitantes da cidade de Santa, em Chimbote.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.