AFP PHOTO / CRIS BOURONCLE
AFP PHOTO / CRIS BOURONCLE

Congresso peruano confirma suspensão de Kenji Fujimori

Por 58 votos a favor, 7 contra e 19 abstenções, o mais jovem do clã Fujimori teve os direitos políticos suspensos para ser investigado pelo suposto pagamento de suborno e tráfico de influência; medida foi promovida pelo partido de sua irmã e rival, Keiko

O Estado de S.Paulo

07 Junho 2018 | 16h58

LIMA - O Congresso do Peru confirmou nesta quinta-feira, 7, em nova votação, a suspensão do popular legislador Kenji Fujimori, que foi promovida pelo partido de sua irmã e rival Keiko, anunciou o presidente do Legislativo, Luis Galarreta.

Peru investigará Kenji Fujimori e outros legisladores envolvidos em vídeo de compra de votos

A suspensão foi aprovada por 58 votos a favor, 7 contra e 19 abstenções, informou Galarreta após a nova votação, realizada após a anterior ser anulada por um erro técnico. "Foi aprovada a suspensão de seus direitos (políticos) enquanto durar o processo penal (contra Kenji)", disse o político.

Kenji será investigado pela procuradoria pelo suposto pagamento de suborno e tráfico de influência depois de aparecer em vídeo supostamente tentando comprar votos de outros políticos para evitar a destituição do então presidente Pedro Pablo Kuczynski, que renunciou em março.

O Congresso deve ainda se pronunciar sobre um pedido de retirada de imunidade e destituição do filho mais novo do ex-presidente Alberto Fujimori, o que poderia tirá-lo da corrida presidencial de 2021, na qual ele aspira confrontar sua irmã. 

Filho mais novo de Fujimori é expulso de partido por discordar da irmã Keiko

Confusão

O problema na primeira votação, realizada na noite de quarta-feira, surgiu porque Galarreta, do partido de Keiko, permitiu que membros de uma comissão que recomendou punir Kenji também votassem, o que seria contra o regulamento da Casa. Na nova votação, os membros dessa comissão não votaram.

Kenji, que não participou da sessão desta quinta-feira já que, supostamente, estava suspenso das atividades parlamentares, disse que a nova votação era uma manobra de sua irmã, cujo partido controla o Congresso.

"Ontem fui suspenso ilegalmente sem o número de votos que exige a Constituição. Hoje Keiko quer fazer uma nova votação, ao seu gosto, e consolidar o abuso", tuitou Kenji instantes antes da votação desta quinta.

"Não me submeterei!!! Iniciarei ações legais e defenderei meus direitos", completou o mais novo do clã Fujimori, que trava uma guerra fratricida pelo controle fujimorismo com a irmã.

Fujimorismo divulga vídeo de aliados de PPK negociando votos para impedir impeachment

Na votação de quarta-feira, vários legisladores não fujimoristas alertaram que o procedimento de votação infringia o regulamento do Congresso, mas Galarreta insistiu em seguir adiante. / AFP

Mais conteúdo sobre:
Kenji Fujimori Peru [América do Sul]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.