Congresso quer ouvir envolvidos em caso da Abin

Os presidentes da Comissões de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado e da Câmara, o senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES) e o deputado Nelson Pellegrino (PT-BA), condenaram a decisão da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) de aposentar o agente 008997 sem a realização de sindicância.

TÂNIA MONTEIRO , BRASÍLIA , O Estado de S.Paulo

29 de outubro de 2013 | 02h04

A decisão ocorreu apesar de a direção do órgão ter fotos, imagens e gravações de encontros dele com um suposto espião americano, em agosto de 2012, na mesma época em que a Agência de Segurança Nacional (NSA) dos EUA espionava membros do alto escalão do governo brasileiro.

Os dois deputados querem convocar o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general José Elito Siqueira, o diretor da Abin, Wilson Trezza, e o servidor aposentado para darem explicações ao Congresso. "O que ocorreu é muito grave. Precisamos saber até onde estamos vulneráveis e que tipo de informações foram repassadas", disse Pellegrino.

Já a Associação dos Oficiais de Inteligência da Abin informou ontem que estuda ingressar com ação no Ministério Público para investigar o diretor geral da Abin por crime de prevaricação. O deputado Carlos Zarattini (PT-SP) disse que "é um absurdo constatar infiltração e vazamento de informações e isso não ter maiores consequências". "O episódio revela uma ação deliberada do serviço de inteligência americano no Brasil."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.