Conhaque francês para brindar Poe, mas sob protesto

Quase foi ?nunca mais? para o conhaque francês, como tributo anual no túmulo de Edgar Allan Poe, no dia de seu aniversário. Mas nesta segunda-feira, como há 56 anos, alguém deslizou pelo pequeno cemitério onde o escritor está enterrado e colocou o conhaque e três rosas sobre a lápide no meio da noite. Só, que neste ano, o misterioso visitante incluiu uma nota de protesto, possivelmente um referência à posição francesa na guerra do Iraque.?A memória sagrada de Poe e seu lugar de descanso final não é lugar para conhaque francês?, diz a nota. ?Com grande relutância mas por respeito à tradição de família, o conhaque está aí. Possa a memória de Poe viver para sempre!? Jeff Jerome, curador da Casa e Museu Poe, em Baltimore, tem vigiado o cemitério todo 19 de janeiro desde 1976. Confessou, hoje, que ficou nervoso sobre a conveniência de dar a nota a público, por causa de seu tom político.?Sou a pessoa que coleta esses itens?, disse. ?Mas será minha responsabilidade interpretá-los e julgar os que devem ou não ser divulgados? Se eu faço isso, torno-me um censor.?O homem coberto de preto apareceu exatamente às 3 horas, andando pelo cemitério coberto de gelo. Depois de colocar as rosas e uma garrafa de conhaque pela metade no túmulo de Poe, desapareceu nas sombras.Para cerca de uma dúzia de pessoas que esperavam pelo visitante, foi emocionante.?É quase como a manhã de Natal?, diz Bethany Dinger, de Baltimpore. ?Você sabe que vai acontecer, mas a antecipação e a preparação e como vai acontecer é dez vezes mais divertido.?Ninguém conhece a identidade do também chamado Poe Toaster (algo como o que brinda Poe). A visita foi documentada pela primeira vez em 1949, um século depois da morte de Poe, aos 40 anos. Por décadas, foi sempre a mesma figura frágil. Mas, em 1993, o visitante original deixou uma nota enigmática dizendo ?A tocha será passada?. Uma nota posterior dizia que o homem, que aparentemente morreu em 1998, tinha passado a tradição a seus filhos.Esta não foi a primeira vez que a nota inclui um assunto atual. Em 2001, o visitante encolerizou os torcedores do Baltimore Ravens por parecer apoiar o New York Giants num jogo da Super Bowl. O Ravens, que deve o nome ao mais famoso poesma de Poe (O Corvo) acabou vencendo o jogo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.