Conheça a posição dos pré-candidatos dos EUA sobre Cuba

Hillary exalta 'desejo reprimido do povo por reformas'; McCain e Obama discordam sobre embargo

REUTERS

19 de fevereiro de 2008 | 12h58

Veja a seguir alguns comentários feitos pelos pré-candidatos à Presidência dos Estados Unidos sobre Cuba antes do anúncio feito nesta terça-feira, 19, por Fidel Castro de que está deixando o poder após 49 anos: Democrata Hillary ClintonA senadora de Nova York e ex-primeira-dama disse que mudanças significantes em Cuba são necessárias antes que as relações com os Estados Unidos sejam normalizadas.  "Acho que precisa ser uma precondição", disse Hillary durante um debate em dezembro. Ela afirmou ainda que o povo cubano tem "um tremendo desejo reprimido" por reformas democráticas fundamentais. Republicano John McCainEx-prisioneiro de guerra no Vietnã que é popular entre conservadores cubano-americanos, prometeu não suspender o embargo dos Estados Unidos ao comércio com Havana até que Cuba realize eleições livres.   Ele também disse que manteria a pressão de décadas dos EUA por mudanças políticas no estado unipartidário cubano. Isso inclui uma proibição a viagem e comércio, além de sanções financeiras impostas poucos anos depois da revolução liderada por Fidel em 1959. O senador do Arizona afirmou ainda que os cubanos participaram da tortura de alguns de seus companheiros de prisão em Hanói durante a Guerra do Vietnã. Democrata Barack Obama O senador de Illinois disse que estaria aberto a conversar com adversários dos Estados Unidos, incluindo Fidel. Ele também disse que era favorável a aliviar alguns aspectos do embargo, incluindo restrições a viagens a Cuba e remessas de valores para familiares.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições nos EUACubaFidel Castro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.