Conheça as letras e escute as músicas do punk venezuelano crítico ao governo

Governo de Nicolás Maduro tem considerado 'subversivas' novas versões de canções famosas com letras que criticam a crise humanitária na Venezuela

Redação, O Estado de S.Paulo

13 de outubro de 2019 | 07h00

A cena musical do punk e rock venezuelano tem se reinventado nos últimos anos, após bandas começarem a lançar versões revisitadas de canções conhecidas das décadas de 80 e 90 com letras que criticam a ditadura chavista do governo de Nicolás Maduro, como mostra reportagem do Estado

Ouça as músicas e conheça as letras dos punks venezuelanos que criticam o chavismo

Miraflores

Quero trabalhar no governo

Para ter uma casa gigante

Para que ninguém me aguente

Para não sofrer com a escassez

Para que me beijem os pés

Para ter oito motoristas

Para ter cinco mulheres

Para ser parte da corrupção

Para demonstrar que sou um bom ladrão

Por que eu vou para Paris?

Por que eu vou embora do país?

Ministro, estás muito ocupado?

Que ministro, o quê?

Qual é o seu trabalho?

Beber por obrigação, como parte da minha religião

Colocar uma gravata, empregar parentes e ficar rico em pouco tempo

Quero trabalhar no governo para que todos me odeiem

Para que todos chorem e me aborreçam

Para fazer o que eu quiser

Em Miraflores!

 

VLZA (Venezuela)

Aqui se produz muito petróleo

Aqui se rouba dinheiro como portfolio

Há escassez de comida e de carne

Há crianças que morrem de fome

Todos os governo fazem merda igual

E não se oponha ou se dará muito mal

Este é um país ignorado nos mapas

É o país da arepa* e da cachapa**

Quem está lá em cima está muito bem

Querem mais dinheiro e mais poder

Este é um país ignorado nos mapas

É o país da cesta básica e do jeitinho

** comida típica venezuelana similar à panqueca, mas a base de milho

* espécie de tapioca a base de farinha de milho com vários recheios, típica da Venezuela e da Colômbia

 

Iludido

Assiste às tuas aulas, de três a cinco anos

Acha que sabe de tudo e o mundo é muito bonito

Para você não existe fome nem existem pobres

Apenas burocratas

Só quero te convidar para que vá por uma tarde

Comer restos apodrecidos no lixão da esquina

Iludido, apenas olhe ao teu redor e se dê conta do que está acontecendo

O mundo em que você vive é pura merda

Ninguém pensa nos outros, apenas em si mesmo

Eles roubam e matam por dinheiro e diversão

 

Desamparado

14 pescadores foram assassinados

Foram assassinados apenas por pescar

Isso não interessa a nossos governantes

Mas nós não podemos nos calar

Todos vivemos desamparados

Frente ao grande poder que tem o nosso Estado

Quando andas pela rua, tem de fazê-lo com cuidado

É uma mostra do poder que tem o nosso Estado

Álbum: 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.